estantes

Mural de Destaques

Santiago de Compostela

Santiago de Compostela

Postado por em nov 11, 2014 em Blog, Destaques, Viagem | 0 comentários

A viagem que fiz a Portugal teve uma cidade que não fica no mesmo país, mas nem considero um desvio de rota. Me explico: do Porto fui até Santiago de Compostela, na Espanha, cidade que ficou ainda mais famosa após o romance Diário de Um Mago de Paulo Coelho. É a capital da Galícia, uma região que é uma “intersecção de países”, no noroeste da Espanha, quase Portugal, com paisagens e hábitos compartilhados. O idioma, galego, é um misto do que se fala nas duas nações. Isso é uma alegria para os brasileiros que adoram mandar ver no portunhol. Mas, cabe ressaltar, a lingua oficial é a de Cervantes.

A capital galega é mundialmente famosa por ser o destino final de peregrinos cristãos – alguns nem tanto – que percorrem o Caminho de Santiago. Sua catedral abriga o túmulo de Tiago (Santiago, em espanhol) um dos apóstolos de Cristo. Sim, gente, o lugar tem poder. Seja você cristão ou não, se tiver um pouco de espiritualidade vai sentir a energia presente. Ou, no mínimo, se comover com toda a movimentação de pessoas em busca de alguma benção ou paz de espírito. Dentro da catedral há vários confessionários disponíveis durante todo o dia, com padres multilíngues para receber os peregrinos. Além disso, há três missas diárias, que ficam lotadíssimas. Os sacerdotes mencionam nomes das pessoas e dos grupos recém-chegados durante a celebração e fiquei impressionada com a quantidade de brasileiros de fé.

Bom, fora o lado religioso, a cidade é uma fofura, toda medieval, a história e a arquitetura são impressionantes, o povo amável e a culinária deliciosa. A tapa espanhola que mais gosto de todas é da região, o polvo a feira, ou pulpo a gallega, como é conhecida em outras partes do país. Santiago também é uma cidade universitária, então, nos períodos de aulas, os bares ficam animadíssimos e dá para conhecer um pouco do que é “salir de copas”. Fiesta!

Veredito: se você chegou até o Porto, vale a pena dar um pulinho em Santiago, um ou dois dias são suficientes para conhecê-la. São só duas horas indo de carro, o que dá para fazer tranquilamente. Foi colocar o endereço do hotel no GPS e pronto. Ou tem sempre a opção de ir a pé, com a fé e a coragem ;)

Onde ficar: Nesse quesito, recomendo o hotel que fiquei, o Lux Santiago, na rua Douctor Teixeiro, 4. Bom custo benefício e localização ideal para conhecer o centro histórico a pé. Como a cidade é pequena, sugiro se hospedar perto do centro.

Por onde turistar: Na bela catedral, claro. E pelas ruas do centro histórico. Tudo lá gira em torno da questão religiosa, tem o museu de arte sacra, o centro de peregrinos e tal. Não tem muito como fugir disso. Os prédios são lindos, mas fora a catedral o resto não é muito interessante em termos de acervo. A cidade em si que que importa.
IMG_6240

*Em setembro de 2014, a Catedral estava em reforma. Não encontrei informação sobre até quando as obras vão durar. Apesar disso, estava aberta e era possível admirar sua beleza.

IMG_6226
*Patrimônio Mundial da Unesco, a catedral chama a atenção por sua arquitetura peculiar, que mistura os estilos gótico, renascentista e barroco e já apareceu até como cenário de HQs como HellBoy e Batman.

E pela Cidade da Cultura. Eu não tive tempo de conhecer, mas parece incrível. É um centro de artes e cultura, bem moderno, como outros lugares que os espanhóis gostam de fazer, nos moldes da Cidade das Artes e das Ciências de Valência.

O que comer: Tapas, tapas e tapas. Mas, entre todas, vá de polvo a feira, a especialidade da região. É cozido e cortado em pedacinhos, por isso nem tem uma aparência estranha, o que é um alívio para quem tem aflição do bicho. É servido com muito azeite, páprica e batatas. Fica muito saboroso. E na Galícia as tapas vêm em baixelas, sem miséria! Confie no garçom e peça um vinho da região para acompanhar. A rua da Reina, no centro histórico, tem vários bares de tapas muito bons.
IMG_6228

Chocolate. Lá não é a Suíça, mas descobri uma marca tão legal e gostosa, claro, que tenho que indicar. A Chocolat Factory (Plaza del Toural, 10) vende produtos divertidos e funcionais, feitos em parceria com designers. Tipo plaquinhas de chocolate que derretem na torrada, bombons para comer enfiando o dedo na boca, além de souvenirs fofos – as fotos ilustram melhor. Tudo com carinha hipster e delicioso.
IMG_6217

IMG_6698
Tarta de Santiago, que é um bolo de amêndoas fofo, não muito doce. Muito bom mesmo. Apesar de parecer, não é sem graça. Eu não gosto de bolo sem graça. É esse com a cruz desenhada.
IMG_6243

Não deixe de fazer: Abraçar a estátua de Santiago para ganhar a sua benção. Sim, você pode dar um chamego na imagem do apóstolo, que está dentro da Catedral.

História de Santiago de Compostela: Santiago, ou Tiago, era apóstolo de Jesus Cristo e foi um dos principais pregadores da religião após a morte do messias. Foi assassinado por perseguidores do cristianismo na Palestina e seu corpo foi levado para a Espanha, onde católicos o enterraram. O local escolhido para seu sepulcro foi um bosque serrado e ermo, para que ninguém o encontrasse. Oito séculos depois, dois camponeses viram muitas luzes vindas do céu, que incindiam sob um local onde se encontrou os restos mortais do apóstolo. Nesse exato ponto, construíram uma capela, depois viraria a catedral, que passou a atrair peregrinos. E assim, iniciou-se o Caminho de Santiago de Campo Estela (de estrela, das luzes que iluminaram o local). Hoje, existem diversas rotas determinadas com base em passagens da bíblia ou da História, saindo da Espanha, de Portugal e da França. As pessoas as percorrem em busca de indulgência, paz espiritual, para pagar uma promessa ou simplemente para fazer um tracking.

Bônus: Se interessar mais que um pulo na Espanha, indico o roteiro Portugal-Espanha-Mediterrâneo que o Fábio do Viagens Cinematográficas fez, ou o guia feito a várias mãos que o Ricardo Freire reuniu no Viaje na Viagem, com o básico dos dois países.

*Foto de Destaque: Best Place In Spain

CompartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on Google+

Três dicas rápidas: um filme, um bar e um batom (wtf?)

Três dicas rápidas: um filme, um bar e um batom (wtf?)

Postado por em out 30, 2014 em Blog, Cinema, Make-up | 2 comentários

Volto com três dicas diretas e retas para você fazer ou adotar já. Nesse fim de semana, quem sabe? Dessa vez, misturo os temas.

Nos cinemas: Relatos Selvagens é uma produção da El Deseo de Pedro Almodóvar, com direção e roteiro do argentino Damián Szifron, também responsável pelo consagrado O Filho da Noiva. Ricardo Darín, o competente e onipresente ator argentino, está no elenco. Só pelas credenciais já dá vontade de assistir. E não decepciona. Na Argentina, foi a maior bilheteria do ano, com três milhões de espectadores e tornou-se o candidato ao Oscar pelo país. Porém, não espere um filme sensível e doce como o anterior do cineasta, esse é puro humor negro. E tem coisas bem pesadas. Mas, é maravilhoso. Eu assisti depois de um clima acirrado de eleições presidenciais e dois dos contos (o longa é composto de várias histórias curtas), me fizeram pensar bastante na bipolaridade maligna que pairava no ar. Fora desse tema, contudo, para quem quiser saber, a história que mais me cativou foi a final, sobre uma festa de casamento ~  love is a battlefield~. Aqui está o trailer. Eu recomendo ir ao cinema sem ver nada, mas, fica por sua conta:

Para beber e comer em São Paulo: Cão Véio (Rua João Moura, 871 – Pinheiros), bar do chef Henrique Fogaça, mais famoso agora por ser um dos jurados do programa Masterchef, que vai ao ar na Band, às terças-feiras. Porém, o que importa é que o bar é ótimo. Eu fui em uma quinta-feira e estava cheio. Apesar disso, demorei uns 20 minutos para sentar, algo que em São Paulo não é muito tempo. A hostess e os garçons foram muito atenciosos e tudo veio rápido. Vale ressaltar que a carta de cervejas é extensa e tem excelentes opções. E, sendo um estabelecimento de um chef, o cardápio tem sanduíches e pratos caprichados, mas sem frescura. Aliás, toda a ambientação é uma coisa meio despretensiosa, meio punk, tipo vamos comer e beber bem, sem gourmetização. Total a cara do dono. Sugiro pedir a Fogaça (American) Pale Ale, cerveja da casa, e as batatas doces fritas com maionese não-sei-do-quê, que eram ótimas. Fogaça também é proprietário do Admiral’s Place, outro bar muito bacana, que parece um clube do uísque e serve drinks preparados impecavelmente, e do Sal Gastronomia, restaurante que não conheço.

IMG_6757

Para arrasar: Se você quiser ir ao cinema, depois tomar uma cerveja no Cão Véio e ainda assim continuar gata e com o batom quase irretocável, aposte no Damn Glamorous da nova linha Matte da MAC. É um vermelho belo, de rica, de Marilyn. Achei menos seco que os da linha Matte anterior, fica colado na boca, mas não é esfarelento. Vende na loja online da MAC aqui. Tá meio fora de propósito falar de batom entre essas dicas? Who cares? Eu comprei há pouco tempo e tô apegada <3

mac_damnglamorous

CompartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on Google+

Por que eu me apaixonei por Portugal

Por que eu me apaixonei por Portugal

Postado por em out 29, 2014 em Blog, Destaques, Viagem | 2 comentários

“O povo português é, essencialmente, cosmopolita. Nunca um verdadeiro português foi português: foi sempre tudo”, Fernando Pessoa

Esse é o primeiro post de uma série de dicas de viagem sobre Portugal. Mas, com licencinha, primeiro serei um pouco passional e, mesmo fugindo do objetivo, acredito que ajudarei você, caro leitor, no momento em que estiver buscando tais recomendações. Isso porque, voltei, como disse aí no título, enamorada desse país e esse relato pode sim ser um ponto de apoio no momento de decidir o destino das férias.

Portugal nos parece tão familiar, afinal sempre permeou de uma forma ou de outra as histórias de família ou dos livros da escola. De fato é. Mas, de uma forma muito mais visceral do que possamos imaginar. É como olhar um reflexo na água, que além da nossa imagem, nos mostra também o fundo do lago. É andar na rua e ver nossos avós, tios-avós, primos. É reconhecer o penteado da sua tia nas senhoras que te servem um suco de laranja com pãozinho e um pastel de nata na padaria de manhã. É comer de novo aquela carne de panela com arroz que só sua avó fazia. Ou seja, não estou falando de ir aos museus e relembrar a história das grandes navegações e de como Cabral chegou à Terra de Santa Cruz. É como chegar em outra Terra, com T maiúsculo.

Deixando um pouco de lado a nostalgia (sou canceriana, desculpe), o país está renovado, em mais de um sentido. As cidades foram reformadas e os locais históricos restaurados. Além disso, suponho que a crise econômica que Portugal vem amargando há alguns anos trouxe um respiro criativo, de jovens que tiveram que se virar para sobreviver, e isso se nota na abertura de novos negócios, na moda, na arte, na noite e na gastronomia. Com alguma surpresa, ao chegar no Brasil, vi que a Vogue daqui tinha feito duas matérias sobre Portugal em sua edição de outubro. E não eram na editoria de turismo: uma era sobre o novo cool do país, que está atraindo os milionários brasileiros (coisas de Vogue), e a outra sobre estilistas emergentes. Ahá!

Vale ainda mencionar que o clima ameno é um ponto muito favorável ao turismo, o que deve atrair a horda de europeus que vi em todo lugar, assim como os preços mais amigos quando comparados ao resto da Europa e até mesmo ao Brasil (socorro, São Paulo).

Caí de amores também pela beleza e o carinho do povo. Português tem mini fama de mal-educado. Eu já tinha passado um fim de semana em Lisboa antes dessa viagem e não fui muito bem tratada… porém, agora, foi muito diferente. Quanta gente do bem, disponível, acolhedora, amável. E cada homem lindo, meu Deus hahaha!

Isso, sem mencionar as paragens incríveis do país. Sério. Natureza, arquitetura, rio, mar, vinhedos, porto… onde você também sente autenticidade, raíz. Começarei, portanto, falando das cidades por onde passei, suas belezas e peculiaridades, para depois tratar das coisas em posts temáticos (moda e compras, gastronomia, vinhos etc). Então, vamos para o início do meu roreito: Porto! Rola para baixo ou clica no próximo post :)

Update:

Para dar um pulinho na Espanha, vá de Porto a Santiago de Compostela. Clique aqui para saber da minha experiência. Se for a Lisboa, dou dicas de onde comer, comprar, passear, clique aqui para ler :)

CompartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on Google+
Páginas: << 1 2 3 ... 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 >>

 

Desenvolvido por